Repositório Científico do Instituto Nacional de Saúde >
Departamento de Genética Humana >
DGH - Posters/abstracts em congressos nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.18/721

Título: Exposição ao Fumo Passivo no Local de Trabalho: Biomarcadores de Genotoxicidade e Susceptibilidade
Autor: Antunes, Susana
Vital, Nadia
Louro, Henriqueta
Gomes, Filomena
Penque, Deborah
Simões, Tânia
Silva, Maria João
Palavras-chave: Genotoxicidade Ambiental
Fumo de Tabaco Ambiental
Exposição Ocupacional
Alterações Genéticas
Issue Date: 20-May-2011
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: Apesar dos limites impostos ao fumo em locais públicos, ainda é permitido fumar nalguns bares/restaurantes, o que constitui um potencial risco para a saúde dos indivíduos expostos. Neste trabalho pretendeu-se analisar uma potencial associação entre exposição ocupacional ao fumo de tabaco ambiental(ETS) e indução de alterações genéticas, atendendo à influência da susceptibilidade genética individual. Estudaram-se 81 empregados de bares/restaurantes, 37 expostos e 44 não expostos a ETS. Caracterizaram-se os efeitos genotóxicos recorrendo ao ensaio do micronúcleo (MN) em linfócitos e em células do epitélio oral e ao ensaio do cometa em leucócitos. Paralelamente, avaliou-se a capacidade de reparação do DNA através da quantificação de lesões induzidas pelo SEM (Ethyl methanesulfonate) no DNA de leucócitos. Analisaram-se os polimorfismos em genes de metabolização e reparação de DNA através de PCR/RFLP. Relativamente aos biomarcadores de genotoxicidade, não se observaram diferenças significativas entre o grupo exposto a ETS e o controlo. Contudo, o estímulo com EMS induziu um número significativamente menor de lesões no DNA de leucócitos dos indivíduos expostos a ETS comparativamente aos não expostos, sugerindo uma melhor capacidade de reparação do DNA - resposta adaptativa. Evidenciou-se também a influência de alguns polimorfismos em genes de metabolização na frequência de MN em células do epitélio oral e de quebras de DNA em leucócitos. Em conclusão, este estudo revelou que apesar da exposição ocupacional a ETS em bares/restaurantes não ter provocado efeitos genotóxicos detectáveis, induziu uma possível resposta adaptativa em células dos indivíduos expostos, cujo potencial impacto na saúde ainda se desconhece.
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/721
Appears in Collections:DGH - Posters/abstracts em congressos nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
APCT.pdf26,96 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © 2010 www.insa.pt - Todos os direitos reservados | Feedback Ministério da Saúde

Estamos no RCAAP Governo Português separator Ministério da Educação e Ciência  Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Financiado por:

POS_C UE