Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/598
Título: Projecto Obesidade Zero (POZ)
Autor: Rito, Ana Isabel
Palavras-chave: Estilos de Vida e Impacto na Saúde
Data: Mai-2011
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: INTRODUÇÃO: A obesidade infantil constitui um dos mais sérios desafios de saúde pública, tendo atingido níveis epidémicos em vários países do Mundo. A sua prevenção e tratamento são prioritários. As intervenções em ambiente familiar de base comportamental que incorporam modificações ao nível da alimentação e da actividade física parecem ser as mais efectivas no controlo do peso corporal. A participação da comunidade constitui um eixo estratégico indispensável no combate a esta doença, apesar de serem escassos os projectos que assentam no desenvolvimento de respostas inovadoras às famílias com crianças com excesso de peso. Neste sentido, foi implementado um projecto inovador de base municipal, o Projecto Obesidade Zero (POZ), cujo principal objectivo foi desenvolver um programa de intervenção e abordagem do excesso peso e obesidade em crianças dos 6 aos 10 anos de idade em ambiente familiar. MÉTODOS: Trata-se de um estudo quasi-experimental, multicêntrico, desenvolvido em 2009/2010 em cinco Concelhos do país (Melgaço, Mealhada, Cascais, Beja e Silves). O programa foi desenvolvido com articulação entre as cinco Câmaras Municipais e os respectivos Centros de Saúde e compreendeu as seguintes fases de desenvolvimento: 1) Consultas de Obesidade Infantil; 2) Workshops de Cozinha Saudável; 3) Sessões de Aconselhamento Alimentar em grupo; 4) Sessão Aconselhamento Alimentar dirigida às famílias. RESULTADOS: Foram inscritas 294 crianças com excesso de peso no programa com uma média de idades de 8,62 anos. 157 (52,9%) eram do sexo feminino. 80,5% das crianças reduziram o seu percentil relativo ao IMC/idade (CDC,2000) durante o período do projecto. Em média registou-se uma redução do percentil 93,6 para o percentil 91,3, sendo as diferenças estatisticamente significativas (p<0,05). CONCLUSÃO: O POZ instituiu e fortaleceu parcerias multisectoriais destacando o papel dos Municípios. Os resultados obtidos sugerem que as intervenções de base comunitária e familiar parecem ter efeitos significativos ao nível da prevalência da obesidade infantil.
Descrição: Comunicação por convite.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/598
Aparece nas colecções:DAN - Apresentações orais em encontros nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
7_POZ_ APN.pdf2,81 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.