Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/5700
Título: Vacinação antigripal da população portuguesa, em 2016-2017 e 2017-2018: cobertura e características do ato vacinal
Autor: Machado, Ausenda
Kislaya, Irina
Torres, Ana Rita
Neto, Mariana
Palavras-chave: Cuidados de Saúde
Vacina Antigripal
ECOS
Gripe
Vacina Antigripal Sazonal (VAGS)
População Portuguesa
Saúde Pública
Portugal
Data: Dez-2018
Resumo: No âmbito da monitorização da toma da vacina antigripal sazonal (VAGS) em Portugal, o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através do Departamento de Epidemiologia (DEP), estudou a cobertura da população portuguesa pela VAGS nas épocas gripais 2016/2017 e 2017/2018. A finalidade foi obter uma estimativa da cobertura da população portuguesa pela VAGS, estratificada por região NUTS II, incluindo as Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores, sexo, idade e presença de doença crónica e, ainda, caracterizar a prática da VAGS na época gripal 2017/2018. O estudo epidemiológico, transversal, utilizou dados recolhidos mediante inquérito por questionário estruturado aplicado por entrevista telefónica ao painel de famílias ECOS (Em Casa Observamos Saúde) constituído de novo em 2018. O trabalho de recolha de dados realizou-se entre julho e setembro de 2018. A análise dos dados foi ponderada e extrapolada para a população residente em Portugal. A cobertura da população geral pela VAGS na época gripal 2017/2018 foi estimada em 20,7% (IC95%: 18,3% a 23,4%) e em 60,8% (IC95%: 55,5% a 65,9%) na população com 65 ou mais anos de idade. Na população com doença crónica, a cobertura foi estimada em 41,0% (IC95%: 36,5% a 45.6%). À semelhança dos anos anteriores, a vacinação contra a gripe decorreu, principalmente, nas unidades de saúde do Serviço Nacional de Saúde (68,3%; IC95%: 60,7% a 75,1%), durante o mês de Outubro (67,8%; IC95%: 59,8% a 74,9%) e por recomendação do médico de família, ou do médico assistente (76,6%; IC95%: 69,5% a 82,5%). A amostra ECOS tem vindo a revelar-se, desde a sua criação em 1998/1999, adequada para a monitorização da cobertura da população portuguesa pela VAGS, demonstrando alterações nas tendências da cobertura pela VAGS relacionadas com a implementação de medidas de Saúde Pública, entre as quais a gratuitidade da vacina para pessoas com 65 e mais anos.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/5700
Aparece nas colecções:DEP - Relatórios científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ECOS Relatório Cobertura VAGS 2016_2018.pdf1,24 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.