Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/5100
Título: Fungos e ambiente hospitalar: preocupações relevantes e riscos para o doente
Autor: Sabino, Raquel
Francisco, M.
Viegas, C.
Martins, C.
Verissimo, Cristina
Palavras-chave: Ambiente Hospitalar
Fungos Filamentosos
Leveduras
Candida
Aspergillus
Epidemiologia Molecular
Infeções Fúngicas
Infecções Sistémicas e Zoonoses
Data: Jan-2017
Editora: Grupo de Infecção e Sepsis do Hospital de São João
Citação: Infecção e Sepsis. 2017;2:13-19.
Resumo: O número de infeções fúngicas nosocomiais tem vindo a aumentar drasticamente sendo causa, cada vez mais comum, de elevada morbilidade e mortalidade em doentes hospitalizados. O grau de contaminação fúngica ambiental é considerado um fator de extrema importância na incidência e epidemiologia destas infeções. Em contexto hospitalar, a infeção fúngica poderá ocorrer por contacto direto ou indireto com superfícies ou objetos contaminados, através das mãos de profissionais de saúde e por ingestão ou inalação de partículas ou bioaerossóis contaminados. As espécies de Aspergillus e Candida são responsáveis pela maioria das infeções fúngicas em pacientes imunocomprometidos e são frequentemente isolados em ambiente hospitalar. Descrevem-se neste trabalho dois case-study em Hospitais da região de Lisboa onde para além da caracterização do ambiente hospitalar quanto às espécies fúngicas predominantes, foram efetuadas pesquisas dirigidas aos géneros Aspergillus e Candida. Verificou-se que o controlo das infeções nosocomiais requer um conhecimento aprofundado da espécie/estirpe infetante, bem como do seu padrão de suscetibilidade aos antifúngicos, determinando assim o risco de infeção tanto para doentes como para os profissionais de saúde.
The number of nosocomial fungal infections has been increasing dramatically, causing high morbidity and mortality rates in hospitalized patients. The level of environmental fungal contamination is considered an extremely important factor in the incidence and epidemiology of these infections. In a hospital environment, fungal infection may occur through direct or indirect contact with contaminated surfaces or objects, through the hands of health care workers and by ingestion or inhalation of contaminated particles or bioaerosols. Aspergillus and Candida species are the most frequent etiological agents of fungal infections in immunocompromised patients, being frequently isolated from the hospital environment. This paper reports two case- -studies from Hospitals situated in Lisbon. These studies were carried out in order to perform the characterization of the hospital environment in regard to the predominant fungal species, but also to perform directed search of isolates belonging to Aspergillus and Candida genera. These studies demonstrate that control of nosocomial infections requires a deep knowledge of the infecting species/strain, as well as their antifungal susceptibility pattern, thus determining the risk of infection for both patients and health care professionals.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/5100
Aparece nas colecções:DDI - Artigos em revistas nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
GIS_M#2 artigo publicado infeção e sepsis 2017.pdf155,08 kBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.