Repositório Científico do Instituto Nacional de Saúde >
Departamento de Doenças Infecciosas >
DDI - Artigos em revistas nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.18/396

Título: Actividade gripal em Portugal no Inverno de 2000/2001 - Análise antigénica e genética das estirpes de vírus influenza
Outros títulos: Influenza activity 2000/2001
Autor: Pechirra, Pedro
Rebelo-de-Andrade, Helena
Guiomar, Raquel
Ribeiro, Carlos
Coelho, Anabela
Pedro, Sónia
George, Francisco
Palavras-chave: Gripe
Influenza
Vigilância epidemiológica
Epidemias
RT-PCR
Sequênciação
Infecções Respiratórias
Issue Date: 10-Feb-2004
Editora: Ordem dos Medicos
Citação: Pechirra P, Rebelo-de-Andrade H, Guiomar R, Ribeiro C, Coelho A, Pedro S, George F.Actividade gripal em Portugal no Inverno de 2000/2001 - Análise antigénica e genética das estirpes de vírus influenza. Acta Med Port. 2005 Jan-Feb;18(1):19-25
Resumo: As infecções por vírus influenza são uma importante causa de morbilidade em todos os grupos etários e estão associados a uma elevada mortalidade nos idosos e nos indivíduos pertencentes a grupos de risco. No presente estudo analisaram-se os dados da vigilância epidemiológica da gripe durante o Inverno de 2000/2001. Os dados clínicos, epidemiológicos e virológicos referentes aos casos de síndroma gripal foram recolhidos através do Programa Nacional de Vigilância da Gripe que se desenvolve em colaboração com a Direcção Geral da Saúde e integra a informação obtida a partir das redes Médicos-Sentinela e Serviços de Urgência. A análise dos dados recolhidos mostram que, durante a época de Inverno de 2000/2001, a actividade gripal foi baixa, sendo o período epidémico curto e de pequena intensidade e duração. As taxas de incidência do síndrome gripal subiram acima da linha de base durante três semanas e não ultrapassaram os 74 casos por 100 000 habitantes. Os vírus influenza do tipo B foram predominantes, verificando-se a presença simultânea de vírus influenza tipo AH1 e AH3. A caracterização antigénica e genética das estirpes isoladas permitiu confirmar a semelhança entre estas estirpes virais e as estirpes vacinais e detectar a extensão dos drifts antigénicos. Saliente-se que apesar da maioria das estirpes de vírus influenza B serem idênticas antigenicamente à estirpe vacinal, a caracterização genética mostrou uma evolução dirigida para a estirpe B/ Sichuan/379/99 que viria a integrar a vacina antigripal em 2001/2002. Consequentemente, observou-se a co-circulação de duas linhagens diferentes evidenciada pela análise filogenética das estirpes B isoladas no nosso país.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/396
ISSN: 1646-0758
Appears in Collections:DDI - Artigos em revistas nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2005_Acta Med Port.pdf249,2 kBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © 2010 www.insa.pt - Todos os direitos reservados | Feedback Ministério da Saúde
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia