Repositório Científico do Instituto Nacional de Saúde >
Departamento de Doenças Infecciosas >
DDI - Artigos em revistas nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.18/396

Título: Actividade gripal em Portugal no Inverno de 2000/2001 - Análise antigénica e genética das estirpes de vírus influenza
Outros títulos: Influenza activity 2000/2001
Autor: Pechirra, Pedro
Rebelo-de-Andrade, Helena
Guiomar, Raquel
Ribeiro, Carlos
Coelho, Anabela
Pedro, Sónia
George, Francisco
Palavras-chave: Gripe
Influenza
Vigilância epidemiológica
Epidemias
RT-PCR
Sequênciação
Infecções Respiratórias
Issue Date: 10-Feb-2004
Editora: Ordem dos Medicos
Citação: Pechirra P, Rebelo-de-Andrade H, Guiomar R, Ribeiro C, Coelho A, Pedro S, George F.Actividade gripal em Portugal no Inverno de 2000/2001 - Análise antigénica e genética das estirpes de vírus influenza. Acta Med Port. 2005 Jan-Feb;18(1):19-25
Resumo: As infecções por vírus influenza são uma importante causa de morbilidade em todos os grupos etários e estão associados a uma elevada mortalidade nos idosos e nos indivíduos pertencentes a grupos de risco. No presente estudo analisaram-se os dados da vigilância epidemiológica da gripe durante o Inverno de 2000/2001. Os dados clínicos, epidemiológicos e virológicos referentes aos casos de síndroma gripal foram recolhidos através do Programa Nacional de Vigilância da Gripe que se desenvolve em colaboração com a Direcção Geral da Saúde e integra a informação obtida a partir das redes Médicos-Sentinela e Serviços de Urgência. A análise dos dados recolhidos mostram que, durante a época de Inverno de 2000/2001, a actividade gripal foi baixa, sendo o período epidémico curto e de pequena intensidade e duração. As taxas de incidência do síndrome gripal subiram acima da linha de base durante três semanas e não ultrapassaram os 74 casos por 100 000 habitantes. Os vírus influenza do tipo B foram predominantes, verificando-se a presença simultânea de vírus influenza tipo AH1 e AH3. A caracterização antigénica e genética das estirpes isoladas permitiu confirmar a semelhança entre estas estirpes virais e as estirpes vacinais e detectar a extensão dos drifts antigénicos. Saliente-se que apesar da maioria das estirpes de vírus influenza B serem idênticas antigenicamente à estirpe vacinal, a caracterização genética mostrou uma evolução dirigida para a estirpe B/ Sichuan/379/99 que viria a integrar a vacina antigripal em 2001/2002. Consequentemente, observou-se a co-circulação de duas linhagens diferentes evidenciada pela análise filogenética das estirpes B isoladas no nosso país.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/396
ISSN: 1646-0758
Appears in Collections:DDI - Artigos em revistas nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
2005_Acta Med Port.pdf249,2 kBAdobe PDFView/Open
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © 2010 www.insa.pt - Todos os direitos reservados | Feedback Ministério da Saúde
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia