Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/3953
Título: Atividade antioxidante, fenólicos totais, flavonóides totais e vitaminas em subprodutos de anona
Autor: Albuquerque, T.G.
Oliveira, M.B.
Santos, F.
Costa, H.S.
Palavras-chave: Composição dos Alimentos
Segurança Alimentar
Anona
Annona cherimola Mill.
Antioxidantes
Data: Set-2016
Resumo: A anona é um fruto muito apreciado pelas suas características organoléticas distintas, nomeadamente textura e sabor. Desde 2000, a anona da Madeira foi registada com Denominação de Origem Protegida. Depois da banana, é o fruto mais exportado na Região Autónoma da Madeira. Hoje em dia, a valorização de resíduos e de subprodutos agroalimentares tornou-se uma necessidade, sobretudo quando é possível utilizar estes subprodutos para o desenvolvimento e conceção de novos produtos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antioxidante, teor de fenólicos e de flavonóides totais e os teores das vitaminas C e E em subprodutos de três cultivares de anona (Madeira, Mateus II e Perry Vidal). As amostras de Annona cherimola Mill. foram colhidas em diversos locais da Região Autónoma da Madeira. Posteriormente, as amostras foram separadas em polpa, casca e semente e procedeu-se à determinação dos parâmetros analíticos. Os extratos da casca e da semente para avaliação da atividade antioxidante, fenólicos totais e flavonóides totais, foram preparados em etanol (90%, v/v). Para avaliação da atividade antioxidante, utilizou-se o método do DPPH•, e os resultados foram expressos em EC50. O teor de fenólicos totais foi determinado pelo método de Folin-Ciocalteu e os resultados foram expressos em equivalentes de ácido gálhico. Os resultados referentes aos flavonóides totais foram expressos em equivalentes de epicatequina. Para a determinação das vitaminas utilizou-se a cromatografia líquida com deteção por díodos. A maior atividade antioxidante foi determinada na casca da anona do cultivar Madeira e a menor nas sementes da anona do cultivar Perry Vidal. O teor de fenólicos totais e de flavonóides totais também foi superior na casca comparativamente à semente dos diferentes cultivares analisados. O teor de vitamina C total variou entre 1,54 ± 0,1 (semente) e 5,17 ± 0,1 mg/100 g (casca), para o cultivar Perry Vidal. O teor de vitamina E (α-tocoferol) mais elevado foi determinado para a semente do cultivar Mateus II (1,1 ± 0,07 mg/100 g). Os resultados obtidos demonstram o potencial antioxidante dos subprodutos da anona da Madeira, sobretudo a casca, podendo constituir desta forma uma fonte natural de extratos de valor acrescentado com aplicações em inúmeras indústrias, nomeadamente a alimentar, farmacêutica e/ou cosmética.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/3953
Aparece nas colecções:DAN - Posters/abstracts em congressos nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
13EQA_ Poster Anonas_FINAL.pdf1,29 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.