Repositório Científico do Instituto Nacional de Saúde >
Departamento de Doenças Infecciosas >
DDI - Apresentações orais em encontros nacionais >

Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10400.18/343

Título: O Haemophilus influenzae não capsulado como agente responsável por conjuntivites em crianças
Autor: Bajanca-Lavado, Paula
Betencourt, Célia
Cristóvão, Paula
Grupo de Estudo GEMVSA
Palavras-chave: Haemophilus influenzae
Conjuntivites
Resistência aos antibióticos
Serótipos
Infecções respiratórias
Pediatria
Issue Date: 6-Oct-2011
Resumo: Introdução: A conjuntivite aguda a Haemophilus influenzae (Hi) não capsulado (NC) é uma das infecções oculares mais comuns, especialmente em crianças menores de 1 ano. O objectivo deste trabalho é a caracterização fenotípica e genotípica das estirpes isoladas após a implementação da vacina para o Hi serótipo b (Hib) no Plano Nacional de Vacinação (PNV). Métodos: Foram caracterizadas 514 estirpes de Hi isoladas de crianças com conjuntivite. As estirpes foram coleccionadas entre Janeiro de 2001 e Maio de 2011 de diversos Laboratórios Hospitalares geograficamente dispersos em Portugal e que fazem parte do Grupo de Estudo Multicêntrico de Vigilância da Susceptibilidade aos Antibióticos (GEMVSA). A produção de β-lactamase foi pesquisada com nitrocefin. A determinação da concentração inibitória mínima (CIM, mg/L) foi realizada pelo método de microdiluição em placa e analisada de acordo com os “breakpoints” estabelecidos pelo CLSI. Foi efectuada a pesquisa de cápsula e caracterizado o serótipo capsular (a a f) por Polymerase Chain Reaction. Resultados: Sessenta e nove estirpes (13,4%) eram resistentes à ampicilina por produção de beta-lactamase. No grupo de estirpes não produtoras de β-lactamase detectaram-se 18 estirpes (4%) com diminuição da susceptibilidade à ampicilina (CIM ≥2 mg/L). Estas estirpes designam-se por BLNAR (β-lactamase negativas e resistentes à ampicilina). O Trimetoprim/Sulfametoxasol (SXT) foi o antibiótico que apresentou a percentagem de resistência mais elevada, com 27,8% das estirpes (143/514). Em relação ao serótipo capsular, 510 das 514 estirpes (99,2%) foram caracterizadas como NC. Conclusões: Neste estudo verificámos que as estirpes isoladas de crianças com conjuntivite têm um maior nível de resistência à ampicilina, por produção de β-lactamase (13,4%), quando comparadas com a totalidade das estirpes isoladas de todas as infecções e de todas as idades, coleccionadas nos mesmos anos de estudo (média de 10%, entre 2001 e 2010). Gostaríamos de salientar a importância da crescente caracterização de estirpes de fenótipo BLNAR. Demonstramos, ainda, a importância do HiNC como agente responsável pela conjuntivite em crianças. Estudos desta natureza, que permitam seguir a epidemiologia da infecção a Hi no período pós introdução da vacina no PNV, devem ser incentivados. A sua contribuição para o estabelecimento de uma terapia empírica eficaz representa ganhos em Saúde Pública.
Descrição: Resumo da apresentação oral (comunicação oral nº 14) publicado na Revista "Acta Pediátrica Portuguesa"(Vol 42, nº 5 Setembro/Outubro 2011 Suplemento I. Páginas S17-S18), apresentado no Congresso Nacional de Pediatria.
Arbitragem científica: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/343
Appears in Collections:DDI - Apresentações orais em encontros nacionais

Files in This Item:

File Description SizeFormat
Comunicação SPP paula Lavado.pdf3,95 MBAdobe PDFView/Open

Please give feedback about this item
Statistics
FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpaceOrkut
Formato BibTex mendeley Endnote Logotipo do DeGóis 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

 

  © 2010 www.insa.pt - Todos os direitos reservados | Feedback Ministério da Saúde
Promotores do RCAAP   Financiadores do RCAAP

Fundação para a Ciência e a Tecnologia Universidade do Minho   Governo Português Ministério da Educação e Ciência PO Sociedade do Conhecimento (POSC) Portal oficial da União Europeia