Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/2634
Título: Perfil nutricional e avaliação da actividade antioxidante de sumo de laranja
Autor: Raposo, C.A.
Albuquerque, T.G.
Oom, M.
Sanches-Silva, A.
Costa, H.S.
Palavras-chave: Composição dos Alimentos
Nutrição Aplicada
Laranja
Antioxidantes Naturais
Compostos Bioactivos
Data: Mai-2014
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: Introdução: Os frutos e vegetais constituem uma parte essencial da dieta mediterrânica, e o seu consumo está associado a uma diminuição da mortalidade por doença cardiovascular e cancro. Os citrinos são reconhecidos por apresentarem elevada actividade antioxidante. A laranja, em particular, é amplamente consumida em todo o mundo, principalmente sob a forma de sumo. Durante o processamento industrial destes sumos, ocorrem alterações consideráveis, nomeadamente no que diz respeito ao teor em compostos bioactivos e vitaminas. A determinação da actividade antioxidante é frequentemente o primeiro passo na avaliação do conteúdo em compostos bioactivos antioxidantes de uma matriz alimentar. Objectivos: Determinar a composição nutricional e avaliar a actividade antioxidante in vitro de sumo de laranja comercial. Métodos: Os sumos, provenientes de sumo e polpa de laranja concentrados, foram adquiridos em superfícies comerciais da região de Lisboa. Determinaram-se os teores de água, cinza, proteína, gordura total e fibra alimentar. Foram calculados o teor total de hidratos de carbono disponíveis e valor energético. Para avaliar a actividade antioxidante in vitro foram utilizados: o ensaio do DPPH● (2,2-difenil-1-picril-hidrazilo), a determinação de polifenóis totais e de flavonóides totais. Resultados: O teor de água do sumo de laranja foi de 89,3 ± 0,05 g/100 g de parte edível. No que diz respeito aos teores de gordura, cinza e proteína, os valores foram de 0,125 ± 0,0; 0,340 ± 0,0; e 0,574 ± 0,0 g/100 g de parte edível, respectivamente. O valor de EC50 (concentração do extracto que dá origem à redução de 50% da absorvência do DPPH●, valor que é inversamente proporcional à actividade antioxidante) para o sumo de laranja foi de 10 mg/mL. O teor de polifenóis e de flavonóides totais foi de 0,208 ± 0,04 mg de equivalentes de ácido gálico/mL e de 20,2 ± 1,20 mg de equivalentes de epicatequina/mL, respectivamente. Conclusões: De acordo com os resultados obtidos pode verificar-se que o sumo de laranja é fonte de antioxidantes naturais, nomeadamente polifenóis e flavonóides totais. Relativamente ao teor de fibra alimentar, verifica-se que os sumos de laranja apresentam um teor inferior ao da laranja. Futuramente realizar-se-ão ensaios analíticos de comparação com outros sumos de frutos não processados.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/2634
Aparece nas colecções:DAN - Posters/abstracts em congressos nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
APN_Sumo de laranja_FINAL.pdf1,11 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.