Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/2609
Título: Plantas aromáticas: conhecimento e hábitos de consumo em Portugal
Autor: Carvalho-Costa, D.
Costa, H.S.
Albuquerque, T.G.
Reis, A.R.
Castilho, M.C.
Ramos, F.
Machado, A.V.
Sanches-Silva, A.
Palavras-chave: Segurança Alimentar
Composição de Alimentos
Plantas Aromáticas
Data: Out-2014
Resumo: As plantas aromáticas contêm diversos nutrientes e antioxidantes, pelo que o seu consumo pode contribuir para a ingestão dos mesmos, tendo um impacto na saúde das populações. Desta forma, é importante avaliar os hábitos de consumo das populações no que diz respeito às plantas aromáticas. Neste estudo realizou-se um questionário que incluiu 50 indivíduos da população portuguesa de diversos distritos de Portugal, sendo a maioria dos distritos de Lisboa (31%) e licenciados (62%). Verificou-se que uma grande percentagem dos inquiridos utiliza plantas aromáticas na confeção de alimentos, sendo que aproximadamente 60% dos indivíduos que responderam ao questionário afirma utilizar frequentemente plantas aromáticas na confeção de alimentos, enquanto 27% garante utilizar sempre plantas aromáticas aquando da mesma. Entre as plantas aromáticas que os inquiridos referem como sendo as suas preferidas encontram-se a salsa (93%), os orégãos (93%), o louro (82%), os coentros (58%), o tomilho (38%), o alecrim (31%) e o manjericão (29%). A razão mais indicada como relevante para a utilização de plantas aromáticas na confeção dos alimentos é a melhoria do sabor (82%), seguindo-se a melhoria do aroma (56%), a redução da adição de sal (47%) e os possíveis efeitos benéficos para a saúde (31%). Considerando a forma como são obtidas as plantas aromáticas, a maioria dos inquiridos afirmou adquiri-las no supermercado (60%), seguindo-se a produção própria como segunda forma mais relevante para a sua obtenção (25%). Quando inquiridos acerca das propriedades benéficas das plantas aromáticas, uma grande percentagem de indivíduos indicou as propriedades antioxidantes (47%) e as propriedades anti-inflamatórias (36%) como sendo propriedades benéficas das plantas aromáticas. Considerando os resultados deste estudo, as plantas aromáticas são bastante utilizadas na confeção de alimentos, pelo que é de grande relevância determinar a representação das plantas aromáticas na alimentação da população portuguesa, uma vez que estas apresentam diversos benefícios para a saúde e contribuem para a ingestão de diversos nutrientes.
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/2609
Aparece nas colecções:DAN - Posters/abstracts em congressos nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
PortFir2014_plantas aromaticas.pdf1,2 MBAdobe PDFVer/Abrir    Acesso Restrito. Solicitar cópia ao autor!


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.