Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/2417
Título: A análise laboratorial e a rotulagem de géneros alimentícios destinados a uma dieta isenta de glúten
Autor: Matias, Filipa
Santos, Mariana
Calhau, Maria Antónia
Palavras-chave: Composição de Alimentos
Glúten
Rotulagem
Intolerância Alimentar
Saúde Pública
Data: Set-2014
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: A segurança dos alimentos continua a mobilizar todos os intervenientes da cadeia alimentar, desde os operadores económicos aos consumidores. Desta forma, a rotulagem tem-se revelado uma importante ferramenta na decisão de compra: o rótulo constitui o primeiro elo de ligação entre o produto e os consumidores. Fornecendo-lhes informação relevante acerca do produto, permite-lhes fazer escolhas conscientes, saudáveis e seguras, em especial àqueles que sofrem de alergias ou intolerâncias alimentares. Hoje em dia, o número de pessoas com intolerância ao glúten tem vindo a aumentar e, neste sentido, a Indústria alimentar tem demonstrado uma maior preocupação em produzir alimentos que possam ser consumidos, em segurança, por este grupo de pessoas. De acordo com o regulamento nº 1169/2011, já em vigor, é obrigatório incluir no rótulo referência às substâncias ou produtos que provocam alergia ou intolerância alimentar. A nível europeu, os alimentos destinados a uma alimentação especial têm um regulamento próprio, o nº 41/2009, aplicável desde Janeiro de 2012, relativo à composição e rotulagem de géneros alimentícios adequados a pessoas com intolerância ao glúten. De forma a cumprirem este regulamento, e a fim de inserirem informação fidedigna nos rótulos dos alimentos, as empresas da Indústria alimentar recorrem ao Laboratório de Química para serem realizadas análises de detecção e quantificação de glúten em novos alimentos a colocar no mercado. O Laboratório também tem colaborado com a Entidade de Controlo Oficial e com uma Associação de Apoio ao Doente Celíaco, num programa de monitorização de alimentos destinados a uma alimentação especial, com o objectivo de avaliar alimentos rotulados como “isento de glúten”. A fim de avaliar a veracidade desta informação, são analisados géneros alimentícios colhidos em diversas superfícies comerciais. Com este trabalho laboratorial, pretendeu-se analisar o conteúdo em glúten, em amostras provenientes da Indústria alimentar, e avaliar a conformidade da rotulagem relativa à informação “isento de glúten”, em amostras provenientes do programa de monitorização. Neste âmbito, o Laboratório de Química analisou, no último triénio, 48 amostras usando o método imunoenzimático ELISA-R5 (RIDASCREEN® Gliadin). Nas amostras provenientes da Indústria Alimentar, os resultados obtidos, inferiores ao limite de detecção, permitem que a menção “isento de glúten” possa ser inserida nos rótulos dos alimentos analisados. Relativamente ao programa de monitorização, os resultados confirmaram a menção “isento de glúten” apresentada nos rótulos, ou seja, todos cumpriam o limite de 20 mg/Kg. O Laboratório de Química tem dado e continua a dar um relevante e decisivo contributo para que os doentes celíacos possam consumir, com confiança, os alimentos disponíveis no mercado adequados a uma dieta isenta de glúten, permitindo a prática de uma alimentação mais segura.
Descrição: Abstract publicado em "12th Meeting on Food Chemistry – Bridging traditional and novel foods: composition, structure and functionality: book of abstracts", ref. S4-PP13.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/2417
Aparece nas colecções:DAN - Posters/abstracts em congressos nacionais



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.