Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/2401
Título: Perfil farmacogenético da população do Algarve: resultados do estudo piloto do Inquérito Europeu de Saúde com Exame Físico
Autor: Gaio, Vânia
Picanço, Isabel
Baltazar, Nunes
Aida, Fernandes
Mendonça, Francisco
Horta Correia, Filomena
Beleza, Álvaro
Gil, Ana Paula
Bourbon, Mafalda
Vicente, A.M.
Dias, Carlos Matias
Barreto da Silva, Marta
Palavras-chave: Reações adversas a medicamentos
Falhas terapêuticas
Farmacogenética
Monitorização de fármacos e farmacogenética
Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico
INSEF
Saúde Pública
Estados de Saúde e de Doença
Portugal
Data: 2-Out-2014
Resumo: Introdução: As falhas terapêuticas e reações adversas a medicamentos (RAM) representam um problema de saúde pública, sendo parcialmente determinadas pela variabilidade genética individual. Torna-se assim fundamental conhecer o perfil farmacogenético da população para adequar a terapêutica a cada paciente e minimizar as RAM. O objetivo deste estudo consistiu em determinar o perfil farmacogenético da população do Algarve, comparando-o com outras populações. Métodos: Um estudo transversal foi desenvolvido no contexto do estudo piloto do Inquérito Europeu de Saúde com Exame Físico. O perfil farmacogenético foi definido para um total de 208 participantes em relação a sete classes de medicamentos (tiopurinas, clopidogrel, varfarina, fluoropirimidinas, irinotecano, codeína e antidepressivos tricíclicos) utilizando informação sobre 47 variantes genéticas em genes envolvidos na sua metabolização. Foi realizada uma análise Pairwise Fst para avaliar a distância genética entre populações e comparação com estudos prévios. Resultados: Verificámos que 84.6% possui pelo menos um alelo de risco para desenvolver falha terapêutica ou RAM e 18.9% dos participantes são metabolizadores intermédios ou deficientes para pelo menos 3 medicamentos em simultâneo, relativamente aos medicamentos considerados. Foram detetadas 4 variantes com grande diferenciação entre as populações. Conclusões: As variantes genéticas que conferem risco de desenvolver RAM ou falha terapêutica apresentam uma frequência elevada na população do Algarve. Visto que os medicamentos analisados são os mais frequentemente prescritos em Portugal, a determinação prévia do perfil farmacogenético do indivíduo, será importante para conseguir evitar a falha terapêutica e/ou RAM, o que terá benefícios ao nível da saúde pública para além de consideráveis impactos económicos.
Descrição: Prémio de melhor comunicação oral do IV Congresso Nacional de Saúde Pública
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/2401
Aparece nas colecções:DEP - Apresentações orais em encontros nacionais
DPSPDNT - Apresentações orais em reuniões nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Apresentação Congresso de Saude Publica 2014.pdf715,3 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.