Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/209
Título: Vacinação antigripal da população portuguesa, em 2010-2011: cobertura e algumas caracterísitcas do acto vacinal
Autor: Branco, Maria João
Nunes, Baltazar
Palavras-chave: Epidemiologia
Doenças Evitáveis pela Vacinação
Gripe
Vacinação
Determinantes da Saúde e da Doença
Data: Ago-2011
Editora: Instituto Nacional de Saúde DoutorRicardo Jorge. Departamento de Epidemiologia
Resumo: Introdução: Dando continuidade ao trabalho desenvolvido desde a época de 1998-1999, o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, através do Departamento de Epidemiologia, estudou a cobertura da vacinação anti-gripal na época de 2010-2011. Objectivo: i) Estimar a cobertura vacinal contra a gripe sazonal (VAGS) na época gripal de 2010-2011, na população do Continente; ii) Caracterizar a prática da VAGS, relativamente a alguns factores, nomeadamente, iniciativa de vacinação, local de vacinação, calendário de vacinação, atitude face à vacina; Metodologia: O estudo, descritivo transversal, constou de um inquérito realizado por entrevista telefónica à amostra de famílias ECOS, em Fevereiro 2011. Esta amostra é aleatória e constituída por 1074 Unidades de Alojamento (UAs), contactáveis por telefone fixo e móvel, estratificada por Região NUT II do Continente, com alocação homogénea. Estas unidades de alojamento representaram 3208 indivíduos. Em cada agregado, foi inquirido apenas um elemento com 18 ou mais anos que prestou informação sobre si próprio e sobre os restantes elementos do agregado. A recolha de dados foi feita através da aplicação de um questionário de 12 perguntas. As variáveis colhidas contemplaram a caracterização dos inquiridos, nomeadamente, no que diz respeito à i) VAGS na época 2010-2011: iniciativa, mês de vacinação, local, motivos para não vacinação, percepção dos não vacinados face à vacina; ii) morbilidade por “gripe”: auto-declarada, sintomas e sinais, confirmação laboratorial As questões referentes à cobertura da VAGS foram semelhantes às utilizadas nos questionários aplicados nas épocas anteriores, afim de se poder comparar resultados. Resultados: Obtiveram-se 903 questionários válidos, o que corresponde a uma taxa de resposta de 84,1%. Através dos respondentes, um por alojamento, obtiveram-se dados sobre 2710 indivíduos residentes naquelas UA, correspondendo a 84,5% do total de indivíduos existentes nas UA da amostra. A cobertura da VAGS na época de 2010-2011atingiu o valor de 17,5% (IC95%: 15,1%; 20,3%). A cobertura nos grupos de risco foi: 48,3% (IC95%: 40,9%-55,7%), nos indivíduos de 65 anos; 28,8% (IC95%: 24,8%-33,2%), nos portadores de pelo menos uma doença crónica. A vacinação antigripal sazonal ocorreu, quase totalmente, até final de Novembro: (95,9%: IC95%: 89,7%-98,5%); fundamentalmente, por indicação do Médico de Família: 67,7% (IC95%: 59,6%-74,9%); para se vacinarem utilizam essencialmente a farmácia: 42,4% (IC95%: 31,9%-53,5%), seguida do Centro de Saúde: 25,8% (IC95%: 17,5%-36,2%). O principal conjunto de razões invocadas para a recusa da vacinação sazonal relaciona-se com mecanismos de desvalorização/negação da importância da doença: 52,8% (IC95%: 47,8%-57,8%). Discussão/conclusões: Afigura-se importante continuar a promover uma maior cobertura com a vacina antigripal dos indivíduos com 65 anos e mais (Portugal assumiu a meta de 75% de cobertura da população idosa e de risco de complicações, para a época 2014-15), assim como no grupo de indivíduos portadores de alguma doença crónica para a qual se recomenda a vacinação.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/209
Versão do Editor: http://www.insa.pt/sites/INSA/Portugues/Publicacoes/Outros/Paginas/VacinacaoAntigripal2010-201.aspx
Aparece nas colecções:DEP - Relatórios científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Relatório_ vacina antigripal_2010-2011.pdf520,5 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.