Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/1881
Título: Vigilância laboratorial da tuberculose em Portugal: relatório 2012
Autor: Macedo, Rita
Silva, Anabela Santos
Rodrigues, Inês João
Rodrigues, Irene
Furtado, Cristina
Simões, Maria João
Palavras-chave: Tuberculose
Epidemiologia
Vigilância Laboratorial
Infecções Respiratórias
Portugal
Data: Dez-2013
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: Em Portugal, e de acordo com o último relatório do Programa Nacional de luta contra a Tuberculose da Direção-Geral da Saúde, em 2012 foram notificados 2480 casos de tuberculose (TB), dos quais 2286 correspondem a casos novos (taxa de incidência de 21,6/100.000 habitantes). Embora Portugal continue entre os países de incidência intermédia, o único na Europa Ocidental, a incidência dos casos novos parece vir a diminuir desde o início da década de 2000. A incidência de tuberculose multirresistente (TB-MR) tem também vindo a diminuir. Em 2012 a incidência de TB-MR foi de 0,56% (14 casos) do total dos casos de TB registados. Esta é uma proporção inferior à média na UE e encontra-se praticamente circunscrita às áreas metropolitanas do Porto e, principalmente, de Lisboa. De acordo com os dados deste mesmo relatório, o número de casos de TB confirmados dos quais se conhece o perfil de suscetibilidade aos antibacilares tem vindo a diminuir, sendo que é cada vez mais frequente os doentes iniciarem tratamento empiricamente com base apenas em critérios clínicos e radiológicos. De facto, não sendo os laboratórios do INSA os únicos a nível nacional a efetuar isolamento em cultura e respetivo teste de suscetibilidade aos antibacilares (TSA), pode verificar-se, pela análise dos dados laboratoriais, que, embora o número de casos de TB notificados tenha aumentado em 2012, o número de casos de TB confirmados no INSA e com resultado de TSA tem vindo a diminuir. Por outro lado, e em relação aos casos de TB-MR verificamos que, entre 2008-2011, o número de casos notificados ao SVIG tem sido discordante em relação ao número de casos com resultado laboratorial. Em 2012 acentua-se essa diferença,com aumento do número de casos de TB-MR com confirmação laboratorial e que se mantêm sem notificação clínica. Este facto, alerta por si só, para a importância de se avaliarem periodicamente os vários componentes dos sistemas de vigilância, concretamente, no que diz respeito aos atrasos de notificação e consequentes implicações nas decisões a adoptar no controlo e prevenção da transmissão da tuberculose.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/1881
ISBN: 978-972-8643-85-0
Aparece nas colecções:DDI - Relatórios científicos e técnicos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Vigilancia_Laboratorial_da_Tuberculose_em_Portugal-Relatorio_2012.pdf2,09 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.