Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/1740
Título: Caracterização da genotoxicidade de nanomateriais manufaturados numa linha celular de epitélio brônquico humano
Autor: Tavares, Ana
Louro, Henriqueta
Vital, Nádia
Antunes, Susana
Lavinha, João
Silva, Maria João
Palavras-chave: Genotoxicidade Ambiental
Nanomateriais
Nanotubos de Carbono de parede múltipla
Dióxido de Titânio
Data: 2-Abr-2013
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: Os nanomateriais manufaturados (NMs) apresentam propriedades físico-químicas específicas que lhes conferem caraterísticas mecânicas, óticas, elétricas e magnéticas únicas e vantajosas para aplicações industriais e biomédicas. Contudo, o desenvolvimento exponencial das nanotecnologias contrasta com a avaliação ainda insuficiente dos seus eventuais perigos, nomeadamente ao nível dos potenciais efeitos lesivos do genoma e seu impacto na saúde humana e no ambiente. O presente trabalho, desenvolvido no âmbito do Projeto NANOGENOTOX (www.nanogenotox.com), teve como objetivo contribuir para a caracterização dos efeitos genotóxicos representativos de três classes de NMs utilizados em produtos de consumo - sílica sintética amorfa, dióxido de titânio (TiO2) e nanotubos de carbono de parede múltipla (MWCNTs) - numa linha celular derivada do epitélio respiratório humano. As propriedades físico-químicas dos NMs testados, bem como o seu comportamento em meio aquoso, foram previamente determinados por outros participantes do projeto através de vários métodos, incluindo dynamic light scattering e microscopia eletrónica de transmissão. Para a caracterização dos efeitos genotóxicos de cada NM recorreu-se a uma linha celular de epitélio brônquico humano (células BEAS-2B) expostas a várias concentrações de cada um dos NMs dispersos num meio aquoso, de acordo com um protocolo desenvolvido e estandardizado para o efeito. Foram utilizados, em simultâneo, controlos negativos e positivos incluindo, como controlo nanoparticulado, o óxido de zinco (ZnO). Perante a incerteza sobre qual o método mais adequado para testar a genotoxicidade dos NMs, selecionou-se a combinação de dois ensaios complementares: o ensaio do cometa que permite a quantificação de quebras ao nível do DNA e o ensaio do micronúcleo, um dos métodos mais sensíveis para detetar a indução de instabilidade cromossómica. Globalmente, os resultados de ambos os ensaios foram concordantes, sendo que não se identificaram efeitos genotóxicos inequívocos após exposição das células BEAS-2B aos NMs estudados. No caso do NM de TiO2, observou-se um ligeiro aumento de quebras no DNA após 24h de exposição, apesar de não se ter detetado indução de quebras cromossómicas pelo ensaio do micronúcleo, sugerindo a indução de um efeito lesivo transitório ao nível do DNA. Por sua vez, apenas a concentração mais elevada do ZnO nanoparticulado induziu um aumento significativo de quebras no DNA, sendo, no entanto, já citotóxica. Estes resultados serão comparados com os obtidos noutros Laboratórios em condições experimentais similares (comparação inter-laboratorial), para avaliação da sua consistência e, também, da adequação destes ensaios in vitro na avaliação da genotoxicidade dos NMs. Para além disso, espera-se que a integração dos presentes resultados com os obtidos em ensaios in vivo, contribua para uma caracterização mais completa e fidedigna da genotoxicidade destes nanomateriais. (*Ambas as autoras contribuiram igualmente para o trabalho.)
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/1740
Aparece nas colecções:DGH - Apresentações orais em encontros nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
SILVA2013 oral.pdf1,21 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.