Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.18/1166
Título: Ventilação, Qualidade do Ar e Saúde em creches e infantários - Resultados preliminares do projeto ENVIRH
Autor: Viegas, João
Papoila, Ana Luísa
Martins, Pedro
Aelenei, Daniel
Cano, Manuela
Proença, Carmo
Teixeira, João Paulo
Nogueira, Susana
Mendes, Ana
Pinto, Armando
Paixão, Paulo
Pinto, Rosado
Neuparth, Nuno
Palavras-chave: Ventilação
Qualidade do Ar Interior
Saúde
Creches e Infantários
Ventilação em Creches
Qualidade do Ar Interior em Creches
Saúde em Creches e Infantários
Qualidade do Ambiente em Creches
Ar e Saúde Ocupacional
Data: 18-Dez-2012
Editora: Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP
Resumo: É do conhecimento geral que a qualidade do ar interior influencia a qualidade de vida dos ocupantes dos edifícios e que pode ter implicações significativas no seu estado de saúde. As crianças constituem um grupo de risco que pode apresentar vulnerabilidades quando exposto a um ambiente interior de menor qualidade. Neste âmbito, correntemente constata-se que parece haver uma tendência para as crianças adoecerem com maior frequência quando iniciam a sua exposição ao ambiente de creches e infantários, ocorrendo em especial um aumento das doenças do foro respiratório. O projeto ENVIRH, reunindo uma equipa multidisciplinar, tem por objetivo principal estabelecer associações entre as condições de ventilação desses locais, a qualidade do ar interior (QAI) e a prevalência de doenças do foro respiratório. O projeto desenvolve-se essencialmente através de duas fases. De entre um total de 48 creches e infantários (Instituições Privadas de Solidariedade Social - IPSS) em Lisboa e 40 no Porto, foram selecionadas aleatoriamente 45 IPSS (sendo 25 em Lisboa e 20 no Porto), tendo sido analisadas na fase preliminar as suas condições construtivas, realizadas medições pontuais e instantâneas do teor de CO2 em salas de atividades, realizado um inquérito aos hábitos dos ocupantes relacionados com a ventilação e realizado um questionário médico para identificação de sibilância baseado no questionário ISAAC (International Study on Allergy and Asthma in Childhood). Com base na análise dos resultados preliminares, através do desenvolvimento de uma análise de “clusters”, foi selecionado um conjunto mais restrito de 20 IPSS, as quais integraram a segunda fase do estudo, onde foram realizadas medições das taxas de ventilação (método PFT), da QAI (CO2, CO, formaldeído, COVTs, PM10, bactérias, fungos e ácaros), do conforto térmico e feito um acompanhamento das condições de saúde das crianças (questionário médico, recolha de condensado brônquico do ar exalado,identificação de vírus respiratórios). A análise estatística dos resultados da primeira fase evidencia uma clara associação do incremento do teor de CO2 com as práticas de manter as janelas exteriores e as portas interiores fechadas (que reduzem as taxas de ventilação) e, por outro lado, uma associação do incremento do teor de CO2 com a sibilância (sintoma de doença respiratória). Esta comunicação detalha a metodologia seguida no estudo e apresenta os resultados da primeira fase.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.18/1166
Aparece nas colecções:DSA - Apresentações orais em encontros nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Ventilação, Qualidade do ar e Saúde em creches e infantários - Resultados preliminares do projeto ENVIRH.pdf215,3 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.